2 de setembro de 2010

Tapetão

Este é o tapete a que me referi no post passado. Ele foi todo bordado com lã sobre juta em pontos arraiolos e ainda não está terminado, faltam o emborrachamento e o acabamento das bordas. De tradicional ele não tem nada: recolhi motivos aztecas (e um nazca) e montei neste "tabuleiro de xadrez" multicolorido. A idéia era usar cores fortes e muito constrastantes em cada quadrado. O resultado aí está: um carnaval colorido para espanto  de decoradores mais convencionais e aficcionados do Feng Shui. 
Quanto tempo levei para bordar? Vários anos, ao sabor das tempestades... Depois que resolvi terminá-lo à sério, em meados de março, foram quatro meses. Calculei cerca de 180 horas de trabalho aprazível. Um pouco por dia. Enquanto bordava (principalmente os quadrados sem desenho, onde não havia gráfico para seguir e as bordas), cantei, estudei (áudio de línguas), conversei e ouvi trechos de livros que me foram lidos por outrem. Trabalhos manuais repetitivos proporcionam uma capacidade de concentração realmente especiais. Se eu pudesse bordar enquanto assistia às aulas na universidade meu aproveitamento teria sido muito maior. É pena que tal procedimento não seja bem visto pelos professores...

2 comentários:

Joana disse...

Oi Ludmila, para mim ficou perfeito. O contraste das cores dos motivos com o fundo deu nitidez aos desenhos. Não tenho paciência para trabalhos grandes pois quando estou começando um já fico pensando no próximo e invariavelmente acabam ambos na prateleira e parto para um terceiro. Estou tentando me disciplinar e concluindo todos os inacabados, entre os quais um tapete floral de tapeçaria simples que foi começado a 15 anos. Bjs
Joana

AK disse...

Os desenho de Nazca, Aztecas, o que dizer,, único e lindo