7 de setembro de 2011

Livro Bordado







E como as aranhas persistem, voltemos a elas. Eis que os ovos eclodiram e alguns deles ganharam as páginas desse livro que fiz num minicurso a que me dediquei com carinho. Foi ocasião de unir o texto ao têxtil, assunto tão vasto. Muito bom tirar do baú palavras quase descosidas de tão poucas e fixá-las num suporte  com o qual elas dialogam tão bem. Não sei dizer se o branco das páginas revelam o pouco que as mãos produziram ou a pouca imagem que as palavras suscitaram. Talvez esse livro seja a representação concreta de um diálogo que travo com mudos, cegos e manetas.
A mortal que emprestou seu nome ao aracnídeo tem sido minha musa há algum tempo. Quero dela apenas seu talento, não seu destino infeliz. Rivalizar com a Deusa - a mitologia nos diz - não costuma ser bom negócio e guardo igual distância de forcas e chinelos.

5 comentários:

SONIA BIANCO ARTES disse...

Ludmila,a artista mais que pronta!
Parabéns.
Bjs
Sonia

Anônimo disse...

Ludmila,
ficou muito legal o seu livro
bjs
Ana

Alexandre Heberte disse...

Tão lindo, amo.


Ludmila beijos de boa noite.

Tania Stahl disse...

Querida,
A obra e sua criadora são poemas que surpreendem.
A criadora é a mente brilhante que representa sua arte interior, rica e fescinante.
Amo teu encanto e seus trabalhos.
Bjs

Gi disse...

Muito engraçado e, do meu ponto de vista, original. Parabéns.